sábado, 9 de agosto de 2014

2 na calha

Ter uma filha com 8 anos implica ter que arrancar dentes. Não lhe calhou a mãe certa...
- "Mãe! Arranca-me o dente!"... eu fujo como o diabo foge da cruz ungida com água benta.
Sorte ter uma 2.ª filha em que o apelido é Corajosa.
- "Ó Juana, eu arranco!"
E deixo as duas a tratar do assunto na casa de banho, uma sentada na beira da sanita e outra na beira do bidé.
O tempo passou e decidi ir averiguar o desenrolar da cena, só para ter a certeza que as duas ainda se encontravam vivas e a Corajosa afirma:
- "Mãe, isto vai correr mal, vai haver muito sangue!" e mete logo as mãos à boca da irmã.
Boa mãe que tento ser corri a chamar o Hugo dado que esta Corajosa assusta-me realmente um bocado e o desfecho da história seria a irmã ficar sem os dentes todos da frente...


Felizmente a queda só se deu uns bons dias depois... depois de o avô ter tido uma conversa com ela se ela tinha preferência na cor da pega do alicate...

2 comentários:

Rosa Santos disse...

Só tu para me fazeres rir! Eu deixava-os andar a abanar até cairem, a minha mãe bem queria atar-lhe uma linha e puxar, mas eu nem pensar que queria.

Diz à Joana, que mesmo sem um dente, continua uma gatinha linda. :)

Gabriela... disse...

Se não levarmos a vida na brincadeira isto não tinha piada nenhuma.
Eu fui do tipo de criança que mal começava a sentir um dente a abanar eu arrancava logo... a minha mãe chegou a ir acordar-me à cama e dar com um autêntico banho de sangue nos lençóis que eu (inteligentemente) usava para melhor agarrar os dentes!